Casei na Bélgica…  O que devo fazer agora? 

A cada semana são realizados vários casamentos entre brasileiros e estrangeiros nas prefeituras da Bélgica. Nesta edição iremos explicar quais os procedimentos a serem tomados após o casamento realizado no exterior e quais os problemas da não homologação do divórcio no Brasil e um novo casamento, entre eles, a bigamia.    Agora que você casou, não esqueça de registrar seu casamento!  Muitos brasileiros não sabem…

Continuar lendo

Hospital Jules de Bordet em Bruxelas é referência mundial na luta contra o câncer 

O brasileiro Dr. Evandro de Azambuja é o coordenador da equipe oncológica  Neste mês de outubro não poderíamos deixar de falar sobre o Outubro Rosa, um movimento que visa conscientizar mulheres e homens no mundo todo sobre a prevenção do câncer de mama através do diagnóstico precoce.   O Instituto Jules de Bordet está localizado em Porte de Hal, em Bruxelas, perto do Hospital…

Continuar lendo
Riscos do trabalho clandestino
boss or Chief giving a bribe or illegal inoficcial salary in an envelope. cash in hand. Boss showing silence sign. Business modern background.

Riscos do trabalho clandestino

Antes de mais nada, vale distinguir o trabalho clandestino do trabalho informal. Trabalhar clandestinamente é trabalhar sem direito de estada na Bélgica e sem autorização para trabalhar. É o que ocorre quando o patrão emprega um trabalhador estrangeiro que não tem direito de estada na Bélgica ou quando um estrangeiro perde o direito de estada, mas continua a trabalhar.  O trabalho informal é…

Continuar lendo

Garantia de rendimentos para as pessoas idosas – grapa

Dra. Cecilia Ronsse Nussenzveig  Quando um habitante da Bélgica chega à idade de 65 anos, o Serviço das Pensão examina se ele tem direito à GRAPA (Garantie de revenus aux personnes âgées).  O objetivo da GRAPA é fazer com que a pessoa idosa se beneficie de rendimentos suficientes em função da sua situação familiar. Basicamente, a pessoa coabitante terá uma garantia de rendimentos…

Continuar lendo

A burocracia do repatriamento do corpo e a dor da perda de um ente querido

Nós nunca estamos preparados para perder alguém que amamos e muito menos esperamos que chegue a nossa hora de partir deste mundo, mas infelizmente a única certeza que temos nessa vida é de que um dia todos nós iremos, e isso independe de crenças ou religiões.   Por isso, é importante deixarmos preparada a parte burocrática, poupando neste momento de dor as complicações fúnebres…

Continuar lendo

Não aprendi dizer adeus

Agradeço muito à Ângela Piqui a oportunidade de escrever aqui estas linhas de despedida. Dia 30  de agosto, deixo minhas funções na Bélgica e no Luxemburgo e regresso, de vez, para o Brasil.   A temporada foi curta, infelizmente. Mesmo assim, saio com a sensação de ter contribuído para oferecer à cidadania o melhor dentro das possibilidades. Pus um tijolo na nossa construção.  Foram…

Continuar lendo

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.