Incêndios na Califórnia e em países da Europa alertam para mudança climática e aquecimento global(1)

Cuidados para evitar incêndios e outros riscos dentro de casa

Incêndios na Califórnia e em países da Europa alertam para mudança climática e aquecimento global

O balanço de mortos pelo incêndio que devastou o norte da Califórnia, EUA, e que está praticamente controlado, subiu para 87, segundo autoridades locais. Até o dia 25 de novembro, 249 pessoas continuavam desaparecidas no incêndio que teve início em 8 de novembro. Juntos, os incêndios chamados de “Camp Fire”, “Woolsey Fire” e “Hill Fire” queimaram cerca de 101 mil hectares. O incêndio entrou para a história como o mais mortal e destrutivo de que se tem registro na Califórnia. Também foi o incêndio florestal com mais mortes nos EUA desde 1918, segundo informações da imprensa local.

No ano passado, a Califórnia teve vários incêndios importantes, com muitas mortes e queima de milhares de hectares. A seca afeta esse estado do oeste dos Estados Unidos há cinco anos. De acordo com um estudo da Universidade da Califórnia em Berkeley, divulgado em janeiro, a seca deixou 100 milhões de árvores mortas no estado. Além disso, julho foi o mais quente jamais registrado na região. Os seis verões (de junho a agosto) mais quentes da história foram, nesta ordem: 2017, 2015, 2014, 2006, 2016 e 2013. Para os especialistas, não há dúvidas de que estamos vendo os efeitos do aumento das temperaturas devido à mudança climática.

No Atlântico, essa influência se traduz em furacões explosivos. No clima mediterrâneo da Califórnia, em incêndios. De acordo com ambientalistas, a mudança climática não causa os incêndios, mas aumenta as chances de que aconteçam e que sejam devastadores.

Relatório alerta para risco de caos

Um relatório chamado 4ª Avaliação Nacional do Clima, assinado por 13 agências governamentais norte-americanas, divulgado no dia 23 de novembro, aponta que as mudanças climáticas já estão impactando os Estados Unidos e reduzirão o Produto Interno Bruto (PIB) do país em 10% até 2100, caso não sejam adotadas políticas para amenizar os efeitos das alterações climáticas.

O documento de 1.656 páginas mostra as consequências devastadoras do aumento das temperaturas globais na economia, na saúde humana e no meio ambiente.

O texto afirma que o clima da Terra está mudando agora mais rápido do que em qualquer ponto anterior da história moderna, e que ação humana é a responsável direta pela mudança.

“Os impactos já estão sendo sentidos nos Estados Unidos. Os sinais são tempestades mais poderosas, incêndios florestais mais severos, e aumento das inundações”, diz o documento.

O relatório afirma ainda que a gravidade do impacto da mudança climática também dependerá de como o país aborda as emissões de gases de efeito estufa e como se adapta ao aumento das temperaturas.

Desde antes da eleição em 2016, o presidente Donald Trump já havia se posicionado de forma contrária às políticas globais adotadas em conjunto para amenizar o impacto das mudanças climáticas. Em 2017, Trump retirou os Estados Unidos do Acordo Global sobre o Clima (acordo de Paris), provocando reação mundial.

Ameaça também na Europa

Em julho deste ano, dezenas de incêndios atingiram várias nações do norte europeu. A Grécia foi o país mais afetado, deixando um saldo de dezenas de mortos. No ano passado, uma onda de incêndios em Portugal deixou 117 mortos. A natureza reage aos desmandos dos seres humanos. É necessário e urgente que os governos discutam de fato o assunto e implementem medidas globais efetivas para enfrentar os efeitos drásticos da variação do clima e do aquecimento global. O mundo pede socorro. Já passou da hora de pensarmos nas futuras gerações.

 

Cuidados para evitar incêndios e outros riscos dentro de casa

Aproveitamos o alerta sobre incêndios para trazer orientações de cuidados que devem ser redobrados nesta época do ano, devido ao inverno. O uso de equipamentos como aquecedores, calefação, forno e lareira requer atenção. O ideal é chamar profissionais para fazer a manutenção destes aparelhos, de modo a evitar acidentes domésticos.

Veja as dicas do especialista:

 

AQUECIMENTO A GÁS x AQUECIMENTO ELÉTRICO

Quando o aquecimento não funciona bem, muitas pessoas compram aquecedor elétrico, o que sobrecarrega a rede de abastecimento. Alguns ainda fazem uso de T-extensão, adaptadores de tomadas – os famosos benjamins – e gambiarras, gerando sobrecarga, cenário propício a incêndios.

EXAUSTORES DE COZINHA

Outro elemento grave que pode iniciar um incêndio é a falta de limpeza dos filtros dos exautores da cozinha.

Por exemplo: uma panela de fritura é esquecida sobre o fogão, superaquecendo também a gordura acumulada no filtro. Essa gordura pega fogo e faz espalhar as chamas rapidamente.

MÁQUINAS DE SECAR ROUPAS

As máquinas de secar roupas que utilizam resistência acumulam plumas e, por isso, é preciso fazer limpeza dos filtros. Pelo menos uma vez por ano também é necessário fazer uma revisão no aparelho que, mesmo bem cuidado, acumula pequenas partículas no seu seu interior. Somente um profissional é capaz de abrir o equipamento e fazer a manutenção necessária.

AQUECEDORES ANTIGOS

Os equipamentos de aquecimento do tipo B, mais antigos, apresentam certo risco. É importante colocar um detector de monóxido de carbono para alertar sobre possíveis problemas.

SEGURANÇA EM CASA

Para aumentar a segurança na residência, é recomendável que as pessoas tenham um cuidado: testar pelo menos uma vez a cada dois anos o seu disjuntor diferencial residual. Essa medida é obrigatória, mas muitos não atentam para isso.

“Na maioria das vezes, o que favorece catástrofes como incêndios é a displicência com a manutenção das instalações e dos aparelhos de uso contínuo”, ressalta o eletricista Márcio de Castro Alves.

 

Compartilhar essa notícia

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

AÇOUGUE COSTELA

Fácil acesso. 

à 5 minutos da Gare du Midi, em Saint-Gilles.

Espaço moderno de 130 m2.

Estacionamento privado com 8 lugares.

  • Top posts

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Fechar Menu

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.