Companhias-aéreas-enfrentam-1140-x-500

Covid-19 obriga países a fecharem fronteiras e companhias aéreas enfrentam maior crise financeira da história 

As companhias aéreas de todo o mundo têm reduzido drasticamente o número de voos, tanto nacionais quanto internacionais, devido à pandemia de coronavírus. 

Dezenas de empresas já não voam mais para os aeroportos do Brasil, e a resolução desse problema não é muito promissora no momento, devido à grave situação na qual nos encontramos. Segundo um relatório apresentado pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês), responsável por representar 290 companhias em todo o mundo, o valor estimado das perdas na União Europeia pode chegar a 82 milhões de euros com a pandemia. 

Rafael Schvartzman, vice-presidente regional da IATA para a Europa, disse na apresentação do relatório que é essencial que os governos ajam rapidamente para minimizar os danos econômicos causados pela redução de 90% no tráfego aéreo durante os piores meses da pandemia. 

A maioria dos voos internacionais estão suspensos, com possibilidade de prorrogação, com o objetivo de evitar a disseminação do coronavírus. Com isso,  muitas empresas têm flexibilizado suas políticas de remarcação e reembolso de passagens para poderem dar conta da procura e evitar as perdas financeiras. 

Mas essas políticas e as rotas estão mudando com muita frequência, o que exige dos viajantes acompanhamento constante junto às empresas. 

Algumas poucas rotas internacionais que ainda operam estão  para auxiliar no  repatriamento dos cidadãos que estão em outros países e desejam retornar para casa. 

Recentemente foram fretados aviões que deixaram Lisboa em direção ao Brasil com mais de 1.400 passageiros. Porém, para ser repatriado, o cidadão brasileiro deve preencher certos requisitos, sendo o principal que o cidadão esteja a passeio pela Europa e não em condição de residente. 

Segundo informações declaradas pelo ministro-chefe da casa Civil, Braga Netto, passa de 16 mil o número de brasileiros que estavam retidos no exterior e conseguiram retornar ao Brasil. 

Orientações sobre voos cancelados e cancelamento de passagens ocasionadas pelo Covid-19 

Se você tem um voo nacional ou internacional marcado até 31 de dezembro de 2020 ou se deseja voltar para casa, veja a seguir como proceder devido ao Covid-19 e quais são as obrigações das companhias aéreas para cada caso. Quem nos explica são os agentes de turismo Renato Araújo, da Espace Voyages Internacional, e Claudia Boom, da agência Merdianis Turismo. 

ABclassificados: Como os passageiros que já possuem passagens aéreas emitidas devem proceder? 

Renato Araújo- A maioria das cias. aéreas estão oferecendo a possibilidade de trocar a data gratuitamente para uma data ulterior, independente da rota, respeitando a igualdade de tarifa. Se houver diferença, o passageiro está isento da multa de troca, mas deve arcar com a diferença tarifária, como por exemplo, as passagens para as datas de alta temporada, que costumam ter os preços mais elevados. As datas de alta temporada na Europa vão aproximadamente de 25 de junho a 15 de agosto e de 15 de dezembro a 5 de janeiro. Para evitar pagar a diferença de tarifa, evitem viajar nessas datas. 

ABclassificados: Como ficará a situação dos passageiros que se encontram em viagem agora, como os que foram ao Brasil e não consegue retornar devido às fronteiras fechadas? 

Claudia Bomm (Meridianis) – Cada companhia área tem sua normativa, muitas coisas que saem na internet não são verídicas. Os reembolsos, devido à crise neste setor, podem demorar até 12 meses; outra opção é pegar um voucher igual ao saldo restante que o passageiro possui, para ser utilizado quando as coisas melhorarem. Não há possibilidade de reembolso de parte do bilhete caso o passageiro já tenha viajado um trajeto. Obviamente, só será válido para utilizar com a mesma companhia aérea onde foi emitido o bilhete. 

O momento é mal para todos, tanto para o cliente como para a aviação, portanto, temos que ter bom senso. 

Se você está fora do Brasil e precisa regressar para a casa, mas seu voo foi cancelado pela companhia aérea em virtude da pandemia, saiba que a ANAC em conjunto com o Governo Federal criaram um formulário que os brasileiros e estrangeiros autorizados que desejam regressar ao Brasil devem preencher. Deste modo, facilitando a organização dos repatriamentos. Acesse: 

www.anac.gov.br/brasileironoexterior 

Esse cadastro da ANAC é exclusivo para facilitação do transporte aéreo, não substituindo o contato para os que precisam de assistência consular. 

Não há mais informações sobre viagens. Todos os eventos de massa, incluindo os festivais, acampamentos para jovens, estágios e atrações turísticas foram suspensos até 31 de agosto.  

Recomendamos aos brasileiros que residem em Bruxelas e se encontram em situações de emergência que entrem em contato com o consulado geral do Brasil em Bruxelas. 

Telefones somente para URGÊNCIA: 

– Telefone de assistência consular de emergência – continua em funcionamento o telefone de plantão consular: 0478 94 91 07. 

– Telefone de assistência consular de emergência – número alternativo durante a crise do coronavírus: 0470 83 82 03 e 0494 85 82 59. 

Segundo as informações da página oficial do aeroporto de Bruxelas (ZAVENTEM), essas são as companhias aéreas que atualmente operam com voos limitados: 

  • Companhias Aéreas do Egeu (Atenas)
  • Alitalia (Roma)
  • Bulgaria Air (Sófia)
  • Linhas aéreas etíopes (Addis Abeba)
  • Etihad Airways (Abu Dhabi)
  • Finnair (Helsinque)
  • Companhias Aéreas de Hainan (Pequim)
  • KLM Royal Dutch Airlines (Amsterdã)
  • Lufthansa (Frankfurt am Main)
  • Qatar Airways (Doha)
  • Ryanair (Dublin)

Por Tatiana do Amaral 

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Fechar Menu

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.