Descoberta na França abre caminho para cura da Aids

A cura da aids.

Descoberta na França abre caminho para cura da Aids.

Cientistas conseguiram destruir células infectadas pelo HIV

Uma descoberta, que está causando expectativa no mundo científico, poderá revolucionar o tratamento contra o vírus HIV/aids, abrindo caminho para a cura da doença. Pesquisadores do Instituto Pasteur de Paris afirmam ter destruído com sucesso as células infectadas com o vírus, que é tipicamente tratado com drogas anti-retrovirais.

As drogas são incapazes de remover o vírus do corpo, mas o jornal científico Cell Metabolism, publicado em 20 de dezembro, destaca que os cientistas descobriram uma maneira de eliminar as células infectadas do reservatório (células do corpo onde o HIV é capaz de persistir mesmo quando os pacientes estão em terapia antirretroviral).

Em um comunicado à imprensa, um porta-voz do Instituto Pasteur disse:

“O tratamento antirretroviral usado hoje é projetado para bloquear a infecção pelo HIV, mas não é capaz de eliminar o vírus do corpo. O vírus permanece em reservatórios – as células do sistema imunológico de linfócitos T CD4, os principais alvos do HIV. Graças aos inibidores da atividade metabólica, os pesquisadores conseguiram destruir essas células infectadas, ou ‘reservatórios , ex vivo.’”

Testes em organismos vivos

Ele conclui afirmando que a pesquisa abre a possibilidade de novos caminhos para a remissão (quando a doença começa a enfraquecer, diminuindo ou desaparecendo os sintomas), eliminando as células do “reservatório”. O próximo passo na pesquisa será avaliar o potencial de inibidores metabólicos “in vivo” – testados em organismos vivos.

Deve-se ressaltar que o HIV atinge células com alta atividade metabólica e “seqüestra” sua energia para se multiplicar. Em teoria, se a carga viral for baixa o suficiente, destruir a célula onde o HIV se esconde e extrair energia, pode impedí-la de se espalhar pelo corpo e, talvez, erradicá-la completamente.

Fontes: 360Nobs.com e Eurekalert.org

Por Isa Colli

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Fechar Menu

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.